O grande benefício das Ipsas para o Brasil

Com o foco em garantir mais transparência e aprimorar a gestão dos recursos públicos, a utilização das normas internacionais de contabilidade para o setor público começa a ser implantada neste ano

Deloitte | Audit & Assurance / 20 de agosto de 2017
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


No passado, a ausência de normas contábeis internacionais comuns constituía um enorme obstáculo para a relação entre países, uma vez que a adoção de princípios de contabilidade distintos criava um ambiente de muita desconfiança e incerteza, principalmente em cenários de crise. Nesse contexto, a implantação das normas contábeis internacionais específicas para o setor público, também conhecidas como Ipsas (sigla para International Public Sector Accounting Standards), surge como uma solução para a padronização das demonstrações financeiras das entidades do setor público.

A grande importância da adoção das Ipsas vem do fato de a uniformização agora possibilitar avaliações equânimes e mais adequadas, o que intensifica a confiança mútua nos dados contábeis entre os países. No Brasil, hoje usa-se as Ipsas em todas as esferas — federal, estadual e municipal —, simultaneamente. A adoção desses padrões começou neste ano, de forma gradual, e o objetivo é que as Ipsas estejam universalizadas no País até 2024, conforme o plano de implementação estabelecido na Portaria 548/15 da Secretaria do Tesouro Nacional.

Com isso, em um futuro breve começaremos a sentir os grandes benefícios que advirão dessa padronização — que, além apoiar a tomada de decisão da administração de União, estado ou município, permitirá e promoverá o tão desejado controle social, em função da uniformidade de padrão contábil e da transparência na divulgação das demonstrações financeiras.

Assim, a sociedade vai poder analisar os resultados e compará-los com outros da mesma esfera, já que terá instrumentos para cobrar a execução orçamentária e o compliance conforme a legislação vigente. A implementação das Ipsas igualmente dará maior visibilidade ao endividamento público e às despesas com pessoal, o que contribui de maneira vital para o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Por todas essas razões, nós, contadores e auditores, temos a obrigação moral de difundir cada vez mais na sociedade brasileira — por meio de artigos, palestras e encontros — a importância de se atribuir valor e qualidade à adoção das Ipsas em todas as esferas públicas.

Por Francisco Sant’Anna, sócio-líder de Auditoria para Instituições Financeiras e membro efetivo do Conselho de Administração da Deloitte Brasil. É também diretor nacional do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon) e integrante da Câmara Consultiva de Mercado de Governança de Estatais da B3.

 


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Crowdfunding de investimento ganha regras específicas
Próxima matéria
18ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2017-2021




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Crowdfunding de investimento ganha regras específicas
Ao editar a Instrução 588, no último dia 13 de julho, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) passou a oferecer...