Projeto de gestão ambiental atrai investidores de modo irregular

Jurisprudência Mercado de Capitais/Boletins/Edição 69 / 2 de Maio de 2009
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Rodrigo Romani apresentou consulta questionando se a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) teria algum posicionamento sobre a legalidade de uma iniciativa denominada Projeto Guanandi Wood. Trata-se de uma modalidade de investimento em arrendamento agrícola e prestação de serviços em gestão ambiental para o reflorestamento comercial. O projeto vinha sendo divulgado na internet pelo site www.investverde.com.br.

Em razão dessa consulta, e após visita ao website, a CVM solicitou inspeção para apurar se esta modalidade de investimento representaria a “emissão dos valores mobiliários descritos no art. 2º, IX, da Lei 6.385/76, sem prévio registro nesta autarquia”. O investimento consistia na celebração do contrato de arrendamento agrícola referente à plantação de 750 árvores de Guanandi e 500 de Canafístula. O arrendatário celebraria ainda um contrato de prestação de serviços com a Pothencia Tecnologia Ambiental Ltda. – que desenvolve o projeto Guanandi Wood – para que esta, em seu nome, implantasse o cultivo e fizesse a gestão do empreendimento. Além disso, o retorno financeiro do investidor viria por meio do recebimento das receitas com a venda de sementes, subprodutos e corte da madeira. O arrendatário poderia ceder seus direitos contratuais no “Guanandi Wood”, o que eventualmente poderia ensejar o surgimento de um mercado secundário de negociação destes contratos.

Após análise preliminar da questão, a área técnica da CVM entendeu que aparentemente os contratos seriam valores mobiliários, nos termos do art. 2º, IX, da Lei nº 6.385/76, estando, portanto, sujeitos a registro na CVM. No entanto, diante da ausência de elementos que atestassem o exercício irregular de atividade no mercado por parte da Pothencia, foi sugerido que a procuradoria da autarquia se pronunciasse sobre o assunto.

A procuradoria federal manifestou-se alegando que, no caso, estão presentes elementos que caracterizam valor mobiliário: 1) fornecimento de recursos (dinheiro ou bens) por parte do investidor; 2) gestão dos recursos por terceiros, ou seja, o investidor não controla o montante que investiu no negócio; 3) trata-se de empreendimento comum, cujo sucesso é almejado tanto pelo investidor quanto pelo gestor, havendo entre ambos uma comunhão de interesses econômicos interligados juridicamente; 4) expectativa de obtenção de lucros, a serem auferidos por meio de participação, parceria ou remuneração, inclusive resultante de prestação de serviços; e 5) investidor assume os riscos de financiador do negócio (ou os do empreendimento) e também aqueles que possam resultar na perda total ou parcial dos recursos investidos.

O colegiado, em linha com a procuradoria, determinou que a companhia suspendesse imediatamente qualquer esforço que pudesse caracterizar oferta pública. Deve ainda retirar seu site da internet, sob pena de edição de Deliberação de stop order. (Processo RJ2008/10302. Registro nº 6349/09. Relator: SRE/GER-2)


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM Fundos de investimento Lei das S.As (Lei nº 6.404) Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Migração de acionistas para subsidiária requer nova subscrição
Próxima matéria
Cuidados fundamentais na aquisição e venda de empresas



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Migração de acionistas para subsidiária requer nova subscrição
A companhia aberta Taípe Trancoso Empreendimentos S.A. interpôs recurso contra o entendimento manifestado pela Superintendência...