Oi capta R$ 13 bilhões em operação questionável

30/4/2014

Blog da Redação / Blogs / 29 de abril de 2014
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Ontem a Oi captou R$ 13,1 bilhões. O aumento de capital é um dos passos mais importantes da controversa fusão com a Portugal Telecom (PT), que vem sendo costurada desde outubro passado. Do total captado, R$ 5,7 bilhões vieram por meio da integralização dos bens da tele portuguesa. Agora, a PT soma 40,73% do capital votante. Outro R$ 1,09 bilhão, em dinheiro, veio do Banco BTG Pactual. Os demais R$ 6,38 bilhões são do mercado.

Qual é o problema?

A reorganização tem enfurecido os minoritários da Oi. Segundo eles, o negócio mascara o pagamento de um prêmio aos controladores da telefônica e, também disfarçadamente, promove a diluição dos acionistas que não fazem parte do bloco de controle. Para completar, na prática, a dívida de R$ 4,5 bilhões dos controladores da Oi, a princípio paga pela Portugal Telecom, acabou sendo diluída entre todos os acionistas da companhia.

A engenharia da operação é tão polêmica que foi parar na CVM. A posição da autarquia é igualmente controversa. Na edição de maio, a CAPITAL ABERTO explica os argumentos do colegiado e da área técnica. Mostra, ainda, por que a operação da Oi pode abrir um perigoso precedente no mercado de capitais brasileiro.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM Oi CAPITAL ABERTO mercado de capitais fusão oferta Portugal Telecom Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Investidor qualificado: a régua subiu
Próxima matéria
ESG no radar do investidor




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Investidor qualificado: a régua subiu
A CVM iniciou hoje a audiência pública da nova Instrução 409, que regula os fundos de investimentos. As mudanças são...