Bitcoin: mais estranho que a ficção

26/02/2014

Blog da Redação / Blogs / 26 de fevereiro de 2014
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Capa da edição brasileira de Neuromancer. Divulgação/ Editora Aleph

O livro Neuromancer, de William Gibson, é um clássico da literatura cyberpunk. Escrito em 1984, ele é uma das referências do filme Matrix. Se você não o leu ainda, leia. Por três motivos: é uma ótima leitura, é incrivelmente atual (apesar dos 30 anos) e, principalmente, ele está se tornando real.

Neuromancer conta a aventura do antiherói Case, um caubói virtual. Ele é especialista em se conectar a um mundo completamente digital e roubar. E isso vem acontecendo há um tempo, num roubo espetacular que chegou ao clímax ontem.

Nesta terça-feira, a maior bolsa de bitcoins do mundo, a japonesa Mt. Gox, saiu do ar. O diretor-presidente, Mark Karpeles, admitiu que ela perdeu 744.408 de moedas virtuais — o que pode significar algo entre US$ 350 milhões e US$ 415 milhões.

Mas, como assim, o equivalente centenas de milhões de dólares em moeda virtual simplesmente desapareceu? Tudo indica que hackers vêm invadindo o sistema da Mt. Gox há algum tempo e realizando operações fraudulentas. Em resumo, os criminosos virtuais criaram uma maneira de receber mais de um pagamento numa transação de troca. Tudo indica que, a essa altura do campeonato, o dinheiro já se espalhou por aí.

Como resolver o problema? Ninguém sabe ainda. Os bancos centrais estão de mãos atadas, tentando descobrir como lidar com essa moeda sem nacionalidade (até o BC brasileiro andou se pronunciando sobre isso, embora não tenha dito nada além do óbvio). O próprio Karpeles está com a faca no pescoço e não sabe como fugir dela. Na página da bolsa, há um recado do CEO: diz que ainda está Tóquio, trabalhando duro para encontrar uma solução para os problemas.

Como se a história toda não pudesse ficar ter mais cara de ficção, um suposto plano de crise da Mt. Gox vazou para o blog The Two-Bit Idiot, cujo autor foi identificado pelo Wall Street Journal como Ryan Selkis, um investidor da moeda. Se autêntico, esse documento fornecerá algumas explicações sobre o rombo milionário.

O romance de William Gibson parece estar saltando da ficção para a realidade. Quanto tempo até as pessoas passarem mais tempo conectadas do que vivendo a vida real? Ou será que a conexão é a vida real? Ou será que isso já aconteceu?


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais Bitcoin Mark Karpeles cyberpunk Matrix Mt.Gox Neuromancer realidade virtual William Gibson Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Congresso ABVCap 2014
Próxima matéria
Saco de pancadas




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Congresso ABVCap 2014
O Congresso ABVCap é o ponto de encontro dos mais destacados participantes da indústria de private equity, venture e seed...