Ney Carvalho

E a Bolsa parou

O fim da CPMF foi o mote de uma greve-relâmpago na Bovespa, que incendiou a política nacional e culminou
na extinção do imposto


Para desenvolver o Brasil

Em pleno século 19, duas aberturas de capital ocorreram no mesmo mês na Bolsa do Rio. Ambas as empresas eram de infraestrutura: uma rodoviária e outra fluvial


A queda de um presidente

Em 1972, uma ação ilegal da Fazenda derrubou Marcello Leite Barbosa, dirigente da Bolsa do Rio e da maior corretora do Brasil


Assalto rocambolesco


A febre dos bondes

Na década de 1870, a Bolsa do Rio propiciou a capitalização inicial do transporte público nas cidades brasileiras e em várias e importantes capitais estrangeiras


Um grande equívoco

Cota para mulheres em conselho desconsidera a inclinação espontânea da sociedade


A primeira quebra

O inglês John Peter Hobkirk foi o responsável pela primeira falência registrada na Bolsa do Rio, na metade do século 19


Zangões fora da colmeia

No século 19, os corretores oficiais da Bolsa do Rio buscaram evitar o acesso dos intermediários livres ao pregão


Carnaval legislativo

Em fevereiro de 1967, o governo militar editou 81 decretos-lei em 13 dias; alguns buscavam estimular o mercado de ações


{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}