Alexandre Di Miceli da Silveira

Dogma posto em xeque

Conceito de “uma ação, um voto” retorna à berlinda no mercado


Dogma posto em xeque: parte 2

As diversas tentativas de premiar o acionista empenhado no longo prazo


De mãos dadas?

A complexa relação entre a governança corporativa e o retorno acionário


Ascensão dos acionistas universais reforça a importância de avaliar as externalidades


Um ou dois conselhos?

Países se diferenciam em relação à estrutura de governança de suas companhias


Modelo híbrido

Dois sistemas de governança coexistem no mundo. O Brasil se equilibra entre eles


Muito além do futebol

Razões do sucesso do modelo alemão no pós-crise


Investidores oportunistas

Fusões e aquisições são cada vez mais influenciadas por acionistas de curtíssimo prazo


Teste de fogo

Decisões de aquisição são cruciais para avaliar a qualidade da atuação do conselho