Incentivo à listagem de empresas médias: estamos no rumo certo?

9º Círculo de Debates – Abr/2014

Captação de recursos / Artigos e Estudos / 21 de maio de 2014
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


O mercado de capitais brasileiro não é receptivo às pequenas e médias empresas (PMEs). Entre as principais bolsas do mundo, a BM&FBovespa tem um dos mais elevados valores médios de ofertas públicas de ações: US$ 693 milhões, atrás apenas da bolsa suíça, com US$ 1,3 bilhão. Nosso número é mais de sete vezes maior do que os US$ 99,3 milhões captados na National Stock Exchange of India (NSE) e esmagadoramente superior aos US$ 11 milhões que as empresas levantam na polonesa Warsaw Stock Exchange, que possui um dos mercados de acesso mais bem-sucedidos do mundo. Desde que a abertura de capital se tornou uma opção viável para as companhias brasileiras, em 2004, apenas quatro tiveram a coragem de fazer uma listagem levantando menos de R$ 100 milhões. A última delas foi a desenvolvedora de softwares Senior Solution, que captou R$ 57 milhões em março de 2013. Os principais agentes do mercado brasileiro — bancos de investimento, escritórios de advocacia, reguladores e bolsa de valores — querem que ofertas como essa deixem de ser exceção. Desde 2012, quando se uniram para criar o Comitê Técnico de Ofertas Menores (COM), eles vêm estudando soluções e buscando apoio político para mudar a situação. O amplo conjunto de medidas, descrito no quadro da página 31, foi discutido no Círculo de Debates promovido em 16 de abril na redação da CAPITAL ABERTO, com o tema: “Incentivos à listagem de empresas médias: estamos no rumo certo?” Confira os melhores trechos a seguir.

Participantes:
• Antonio Felix de Araujo Cintra, sócio do Tozzini Freire Advogados
• Bernardo Gomes, diretor presidente da Senior Solution
• Cristiana Pereira, diretora de desenvolvimento de empresas da BM&FBovespa
• Daniel Utsch, head da área de equity research da Fator Corretora
• Fernando Machado, gerente da área de mercado de capitais do Banco Votorantim
• Luciana Dias, diretora da CVM

Você pode conferir na Edição 129 de Maio de 2014 a cobertura completa do evento na matéria “Onda de incentivos”.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Interpretação da CVM sobre venda de unidades de hotéis está correta
Próxima matéria
Fórum: o novo IRPJ




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Interpretação da CVM sobre venda de unidades de hotéis está correta
A crescente oferta de venda de unidades imobiliárias em hotéis em construção, acopladas a contrato de locação, mediante...